Querido diário… A importância do registo no trading

Querido diário… A importância do registo no trading

18 Dezembro, 2018 0 Por O Tostão

Nada mais nos ensina na vida do que o passado. Olhar para trás com olhos de quem vê é uma das coisas mais importantes ao longo da nossa vida. Aprender com os nossos erros é a única coisa positiva que podemos fazer com eles, e no que toca a mercados financeiros aprender com um erro cometido anteriormente pode fazer a diferença entre o verde e o vermelho.

É certo que não se aprende apenas com os erros cometidos e que podemos aprender também muito com as coisas que fizemos bem, no entanto é essencial que exista um registo o mais pormenorizado possível para que posteriormente consigamos fazer uma análise cuidada. É tendo em conta isso que a elaboração de um registo das negociações por nós feitas pode fazer a diferença entre ganhar ou perder dinheiro.

A maneira como olhamos para o passado e a interpretação que fazemos dos acontecimentos é totalmente diferente da que fazemos no “calor do momento”. Longe dos picos emocionais e de adrenalina iremos fazer uma leitura dos nossos trades muito mais sóbria. Para que possamos realmente perceber depois onde erramos e onde agimos bem é fundamental ter um registo o mais pormenorizado possível. Pode ser feito numa folha de cálculo no computador, em formato texto, escrito à mão ou até mesmo em ardósia, o que interessa é ser feito e de forma minuciosa.

Assim, qual a informação que deve conter o nosso registo? Toda a que achemos relevante para que possamos mais tarde julgar de forma clara a nossa negociação. Irá ser certamente um processo evolutivo, em que iremos acrescentar dados que achemos importantes e até eliminar alguns que verificamos que não têm relevância. Existem milhares de modelos de folhas de cálculo e de diários de investimento que podemos adoptar assim como podemos ver todos esses exemplos para que possamos compilar a nossa versão.

Na minha opinião existem dois tipo distintos de informação que iremos registar, para mim, informação objectiva e informação de expectativa. Não tenho conhecimento bibliográfico acerca destes termos, mas foi estes que adoptei, o que realmente interessa é a percepção da importância de ambos.

Tudo o que registo e que se trata de algo objectivo e constatável é para mim informação objectiva. Falo-vos por exemplo da data de abertura da posição, do preço de compra, do valor de comissão, do valor total da compra, preço de venda, rentabilidade conseguida, basicamente tudo aquilo que nada tenha a ver com a minha observação e opinião. Tal como o nome indica é algo objectivo, não susceptível de ser alterado de acordo com diferentes pontos de vista.

Por outro lado, chamo informação de expectativa ao tipo de dados que registo tendo em conta as expectativas que tenho para a negociação em causa. A que preço espero vender? Qual a rentabilidade que pretendo e acho justa? Horizonte temporal?  São apenas exemplos de questões para as quais acho fundamental ter logo uma resposta, uma expectativa. Em primeiro lugar para controlar o lado emocional e não me deixar levar pelos picos de adrenalina, por outro, para que possa posteriormente fazer uma avaliação acerca das minhas expectativas. Será que devia ter adoptado um stop loss mais apertado? Porque não deixei correr a posição se estava no verde? Porque não vendi logo? Estas perguntas são sem dúvida muito importantes para que possamos aprender com os nosso erros assim como também percebermos que “aquela” foi a melhor decisão.

Para que o registo seja importante é necessário que tenhamos a consciência do que fazer com ele.  De nada serve termos todas as negociações descritas ao pormenor se posteriormente não reflectirmos ou tirarmos ilações acerca das mesmas. Assim acho fundamental que seja feito um relatório a descrever tudo o que correu bem e tudo o que correu mal. Este exercício é para mim uma forma de garantir uma avaliação da negociação feita, e que mais tarde posso reler e quem sabe tirar algum ensinamento da mesma.